Escutem ''Drowning In Red'', O Novo Gratino Cerebral do Red Mess

Depois de chegar metendo o pé na porta e um soco na cara em 2014 (como diria o Matanza), os caras da Red Mess abriram os trabalhos em estúdio para este ano. É de domínio público que a banda está fazendo giros para promever os sons que consagraram o ''Crimson EP'', mas também é válido acompanhar os caras de perto pois o trio está turbinando a cozinha para um full lengh, bolacha que dia após dia fica mais madura, pesada e se torna um um belo sinônimo de urgência musical.


E o próximo passo foi dado hoje, dia 24 de março de 2015, data estelar do lançamento de ''Drowning In Red'', o novo trabalho dos caras, que seguindo a linha de criação do EP anterior, segue elevando o padrão e chega só com a nata do som caótico.

Line Up:
Douglas Labigalini (bateria)
Lucas Klepa (baixo)
Thiago Franzim (guitarra/vocal)



Track List:
''Daybreak's Dope''
''Ready To Go''


Aqui temos cerca de 12 minutos de som, minutos plenamente distribuídos em duas balanças: ''Daybreak's Dope'' e ''Ready To Go''. Mas antes de ver pra que lado a brisa ia cair, confesso que fiquei olhando para a chapadíssima arte deste registro (feita por Gabriel Araújo e Vitória Plácido), e imaginei que o conteúdo poderia soar mais trabalhado na viagem, coisa que por sorte se confirmou.

Aposto que esse desenho não ficou derretido antes do play. Creio que os responsáveis pela arte tiveram o insight para o que se tornaria o produto final, mas inicialmente investiram em traços mais polidos... Depois do play que eles notaram a necessidade de derretar a lua de Marte, o conteúdo berra por camadas em decomposição e a dupla responsável arrepiou nessa conexão de imagem e som.

Gravado nos estúdios High Voltage e chefiados pela produção do Gustavo Di Lorio, Drowning In Red'' surge com os mesmos traços que deram a cara analógica ao som anterior, mas que em virtude da faceta mais letárgica apresenta uma finalização mais profunda e encorpada.

Me lembrou do trabalho mais recente do Brant Bjork, o chapadíssimo ''Black Power Flower'', mas aqui o insight é mais introspectivo e o som ficou ainda melhor do que no outro apanhado de grooves. A bateria bate seca igual tapa na orelha, o baixo caminha na crocodilagem e a guitarra surge eletrocutando todo o caminho.


Em ''Daybreak's Dope'' é ridículo chegar na marca dos quatro minutos e ver os instrumentos respirando por aparelhos... Mal sabe você que depois a nave decola e quando bate o Douglas já está abafando o som da cozinha e o quebra-quebra entra com Lucas Klepa e Thiago despedaçando o tempo no coliseu do Stoner.

Só que aí depois que o clima de sequela se estabelece, surge ''Ready To Go'', e aí a glicose escorre pelos riffs. Esbanjando vitalidade e arrematando a apreciação com uma session mais Rock 'N' Roll. algo que lembra a liberdade Southern por cima de uma Harley.

Trabalho de fácil audição, rápida imersão e de rara intensidade, esse novo EP do Red Mess surge para confirmar um grande momento para a banda e chega fazendo ainda mais barulho do que o ''Crimson EP'', talvez assim você, gafanhoto que ainda não teve a decência de sacar esse peso, escute tanto o que foi improvisado no trabalho anterior, como o que foi criado para anestesiar mentes com ''Drowning In Red'' e o afogamento marciano. Saquem o play abaixo e reparem na arte e no trabalho fotográfico do Renan Casarin... Coisa fina!

0 comentários: