A combustão de Johnny Winter Captured Live!

Quando a nossa cabeça sintoniza em certo artista ou estilo, nós (viciados em som), sentimos uma coisa imediata. É quase sempre o mesmo feeling, é a lembrança mais forte que você mantém com determinados laços sonoro-afetivos.


E isso acontece com tudo e gera a síntese, aquele disco que você escuta quando quer captar exatamente o que mais gosta de certo músico, sua essência. E quando procuro me lembrar do Blues de Johnny Winter sempre aponto o dedo para o ''Captured Live!'', um dos melhores LP's ao vivo de todos os tempos. datando de março de 1976.

Line Up:
Johnny Winter (guitarra/vocal)
Randy Jo Hobbs (baixo/vocal)
Richard Hughes (bateria)
Floyd Radford (guitarra)



Track List:
''Bonie Moronie'' - Larry Williams
''Roll With Me'' - Rick Derringer
''Rock & Roll People'' - John Lennon
''It's All Over Now'' - Bobby Womack/Shirley Jean Womack
''Highway 61 Revisited'' - Bob Dylan
''Sweet Papa John'' 


Quando penso em Johnny Winter um Katrina se instaura em minha mente. Um motor em eterna combustão interna de Blues começa a funcionar... A intensidade de um ataque fulminante, a objetividade de um tiro no peito com o sentimento de uma musa em lágrimas. Realmente, o som de Winter é o pacote completo e ao vivo era mais Rock 'N' Roll que sua própria vida, sempre em busca do próximo pico, tal qual Burroughs narra no clássico ''Junky''.

Aquele apetite pela guitarra... Poucas vezes pude ouvir e ver, mesmo que pela TV, um músico se doar tanto pelo groove, fagulha criativa que em certos momentos fez do albinão um refém, mas por trás de litros de Whisky, caixas de cigarro e o casamento viciado de colher e seringa que quase cessaram seu Blues, ''Captured Alive!'' prova que o silêncio seria impossível, seu som é uma força da natureza, tão simples quanto isso e a síntese de todo seu slide está aqui.


Todo mundo que fala do Americano sempre cita o ''Live Johnny Winter And'' como seu melhor trabalho live, mas sempre acabo discordando, ''Captured Live'' que consegue ilustrar tudo que foi o som desse mestre, que além de seus próprios icônicos e faraônicos trabalhos, ainda tem a mão de midas em CD's de Muddy Waters, outro detalhe de sua genial carreira.

Que contando com esta capsula de doze alojada no LP, faz de ''Captured Live!'' um trabalho que consegue expressar tudo que foi dito e não dito, com seis faixas, assim como ''Johnny Winter And'', só que com um set list mais virado no giraya e com seis minutos a mais de jam. Arte na qual o mestre teve primeiro e segundo grau completo, fez ensino superior, mestrado, douturado, colou o cerficado de Ph.D na geladeira e fez MBA nas Tours e festivais.


O que ele faz nos mais de 10 minutos de ''Highway 61 Revisited'' é um absurdo, era digno de fazer o Bob Dylan nunca mais tocar essa música e doar a patente criativa. ''Sweet Papa John'' também, 12 minutos de uma das maiores fontes de glicose blueseira, mas essa aí é sempre uma versão melhor que a outra e trata-se do único momento autoral do LP. Podemos até imaginar o mago dos cabelos brancos tocando em prosa, olhos semi cerrados perdidos em outro plano, smack viajante e riffs despencando como bombas na Palestina.

Dentro de uma viagem que na teoria segue um set list, mas que na prática pode surgir fragmentada, sem seguir nada, pulsando de maneira devassa e sendo cru como ''Bonie Moronie'', puramente Rock 'N' Roll com ''Roll With Me'' e absolutamente festeiro com ''Rock & Roll People'' e ''It's All Over Now'' , duas das mais belas expressões em relação a potência e vibração desse fraseado em pura abstinência de Blues.



4 comentários:

  1. Perfeito. Pra mim é difícil escolher o melhor disco do Johnny, mas com certeza esse esta entre os meus preferidos.

    ResponderExcluir
  2. Eu tenho o meu favorito também, mas quando quero me lembrar do cidadão sempre coloco esse! hahaha

    ResponderExcluir
  3. Só ouvi o 'JW and' umas milhares de vezes sóagora em 2016. Ainda estou dividido entre ele e o ''captured Live''. Inegavelmente; um monstro do blues. Estilo próprio, riffs ácidos e solos precisos!

    ResponderExcluir
  4. O Winter and é foda também, tem o Derringer nas guitarras!

    ResponderExcluir