Iron Butterfly e a fritação Live In Sweden 1971

O Iron Butterfly foi uma das bandas mais importantes dentro do Rock, ainda mais no meio Psicodélico, mas hoje em dia eles não são muito lembrados, aliás a última vez que eles apareceram na mídia foi com o triste falecimento do baixista da banda, o grande Lee Dorman que nos deixou em 2012.

O Iron (que não o Maiden) gravou discos excelentes, a genialidade dos caras não ficou restrita ao mítico (e um dos discos mais vendidos de todos os tempos), ''In-A-Gadda-Da-Vida'', e os verdadeiros fãs da banda e de música de uma forma geral sabem disso, mas de que adianta perceber isso agora que a banda já chegou ao fim?

Adianta tudo, é questão de todo um legado meus amigos, quem não é visto nunca será lembrado, e o Iron foi visto, teve todo prestígio que poderia, mas desde 2012 que o som não pulsa, e eles precisam continuar nas caixas de som renovando seu ciclo de fãs, sempre mantendo aquela chama do Psicodélico acesa, mantendo aquele arrepio do bom quando se ouve algo novo. E para tal os donos da obra da banda se uniram ao selo Cleopatra Records e deram início a uma bela série de lançamentos ao vivo que pelo visto não terá um fim prematuro.


O primeiro disco da série (''Live At The Galaxy 1967'')  saiu dia 27 de Maio de 2014  e foi gravado no icônico Galaxy Club, conhecido por abrigar muitas das fritadeiras que surgiram na Califórnia do fim dos anos 60 e começo dos 70, bem ali, no coração da Sunset Strip.

O segundo CD é o da resenha de hoje, é um registro estrondoso gravado na Suécia em 1971 com uma banda reformulada, bem mais experiente e já consagrada no meio fonográfico, com 4 discos de estúdio na bagagem. E o terceiro CD da série será o ''Live In Copenhagen 1971'', trabalho que vai sair dia 19 de agosto com a mesma line up do ''Live In Sweden'' e com uma participação do Yes na última Jam dos caras em seu show derradeiro na Europa.

Line Up:
Doug Ingle (teclado/vocal)
Lee Dorman (baixo)
Ron Bushy (bateria)
Mike Pinera (guitarra/vocal)
Rhino (guitarra)



Track List:
''Butterfly Bleu''
''In-A-Gadda-Da-Vida''
''Possession'' - bônus
''Evil Temptation'' - bônus
''Don't Look Down On Me'' - bônus


De todos os que saíram esse aqui é o melhor deles. São apenas cinco temas, sendo que os dois primeiros já chegam chegando e rompem 20 minutos de Jam! As últimas três faixas são bônus e também são ótimas, mas o verdadeiro show está nas duas primeiras. O reverendo Mike Pinera arrebenta, sola o disco todo e haja efeitos, chega uma hora que não tem mais com o que fritar e surge uma Talk Box épica na jogada.

Todos trituram seus respectivos intrumentos, mas Pinera fica um degrau acima dos outros pela loucura demonstrada, este aliás foi um dos músicos que mais fizeram pelo Iron Butterfly. Outro fato importantíssimo de ser ressaltado, (talvez até mais do que a performance chapadíssima de Mike) é a mixagem desse disco. Gostaria de saber especificamente quem foi o indivíduo responsável pelo baixo. Escuta-se tudo absurdamente bem, mas o baixo entrou com um peso e uma definição assombrosa, Lee Dorman foi de fato um dos maiores expoentes do instrumento.


O único defeito desta série é que não vai sair nacional. O label é de uma divisão menor, logo a única opção é comprá-lo importando por 60 mangos, vale deverás a pena, mesmo com o digipack meio ''simples demais''. Este registro também salienta outro fato, a força que a borboleta de ferro tinha ao vivo, O ''Live'' de 1970 é um dos maiores registros ao vivo que conhecemos, este aqui também não faz feio, um show de fato insano, uma das melhores coisas que saíram neste ano.

Juntando os bônus temos uma hora de som, mas nem precisava de bônus, só o estrago de ''Butterfly Bleu'' e da clássica ''In-A-Gadda-Da-Vida'' já valem o disco, só ai temos 90% do conteúdo alterador de percepção.


0 comentários: