B.L.T: a larica do Jack Bruce, Bill Lordan & do Robin Trower

Sabe quando seu estômago dói e você pensa que é um desconforto puramente biológico? Creio que todo ser humano já tenha sentido isso. Não é uma sensação agradável, muito pelo contrário, parece uma mistura de pressão baixa com embrulho estomacal, também conhecida como fome. Pior que isso, só mascar chiclete de estômago vazio na hora do almoço, nossa senhora.

Mas enfim, voltando para a fome. Não existe nada pior do que sentir fome. Às vezes temos dores de cabeça, em outras oportunidades sentimos tontura, fraqueza... Falta combustível. A comida nos deixa mais ligados, mais felizes e menos desconfortáveis com essa vida desqualificada que levamos... Não seria exagero de minha parte salientar que uma boa larica pode salvar uma vida.


Foi justamente quando este terror se abateu sob meu corpo que fiz uma de minhas melhores arquiteturas comestíveis. Montei um sanduba de respeito, zerei a geladeira. É complicado viver no vácuo do almoço até a janta sem degustar nenhum quitute. A parte da tarde agrega toneladas de sono em nosso ser, logo, para dar aquela dose de glicose para o sprint final do expediente, não existe nada melhor  que um bom e velho X-Tudoquetêmnageladeira. 

E como gosto de fazer o bem ao próximo e de propagar minhas receitas, anotem o manuscrito sigiloso que carrega o passo a passo para o apetitoso B.L.T. A receita para a larica de todas as tardes, saciando apaixonados pela engenharia dos pães desde 1981.


Line Up:
Jack Bruce (vocal/baixo/teclado/guitarra)
Bill Lordan (bateria)
Robin Trower (guitarra)



Track List:
''Into Money''
''What It Is''
''Won't Let You Down''
''No Island Lost''
''It's Too Late''
''Life On Earth''
''Once The Bird Has Flown''
''Carmen''
''Feel The Heat''
''End Game''


A personificação comestível não foi um dos meus melhores momentos se tratando de devaneios verborrágicos, mas acredito que no final das contas essa bolacha valerá a pena, afinal de contas temos aqui um power trio de respeito. Esqueça da trinca de atacantes pão-bacon-tomate e cumprimente o mestre do groove, Jack Bruce, seu comparsa das Fender's, Robin Trower e seu companheiro de kit's com baqueta: Bill Lordan.


Dos três grandes nomes presentes, Bill foi o único que apareceu apenas uma vez nessa união. Vale lembrar que Robin Trower ainda possui três (ótimos) discos de estúdio com Jack Bruce, alimentando uma química que depois do Cream, West, Bruce & Laing e desse disco, o ex junkie não teve com mais nenhum guitarrista.

Acredito que o maior defeito desse disco seja o tempo, o vinil só gira por 37 minutos e alguns quebrados, mas a música é de altíssima qualidade e a capa (apesar de ser bastante pichada pela crítica), é um barato! 

Acredito que ela tenha sido elementar para chamar atenção dos ouvintes, por que uma vez que a música é tocada, o encanto é absoluto. A aresta sonora praticada por aqui é o Blues-Rock, mas como os grandes nomes não se limitam, é bastante fácil pescar influências mais swingadas e jazzísticas.

Algo bastante compreessível, pois todo o vocabulário de Bruce veio do Jazz. Característica que definiu seu som pelo caráter de não se limitar, não restringindo a veia Hard, psicodélica  e ácida que apenas um grave consegue registrar. 

Lordan, por sua vez, possui um grande entrosamento com o próprio Trower pela experiência tocando em sua banda, mas aqui o trabalho do baterista foi diferente, produzindo batidas mais livres, como se fossem bases para improvosos. E fechando o pacote temos Robin Trower em uma de suas passagens mais espontâneas e Hendrixianas eternizado em disco.


Em ''Into Game'', tema que abre o disco, a fritação em sua Fender é voraz, o Wah-Wah vira brinquedo de criança e seus riffs seguem embriagantes. Aliás a estética do disco já é moldada nesse tom e depois a coisa só se desenvolve. Em ''What It Is'', por exemplo, Jack segue registrando um de seus melhores vocais em estúdio enquanto cozinha seu baixo Gibson no banho maria.

É um daqueles discos redondinhos, com tudo no lugar, sem exagero... ''Won't Let You Down'' é uma balada pra ninguém botar defeito! Está tudo no mesmo tom e os timbres seguem tinindo. Sempre numa finesse que dura apenas até a porrada seca de ''No Island Lost'', tema passa com a classe de um comendador até ''It's Too Late'',  faixa que ressalta o tempo impecável de Bill Lordan, nome menos celebrado dessa gravação. 

Mas sem dúvida alguma um músico de marca maior, de estilo econômico e responsável por acompanhar o cavalgar sinuso de Jack em ''Life On Earth'', fazer a adorável base para ''Once The Bird Has Flown'', além de unir a cozinha enquanto ele e Bruce caminham para o mesmo lado e apenas abrem caminhos para Trower brincar no emprego do mundo: solar e rifferar quando e onde quiser, assinado: ''Carmen'', ''Feel The Heat'' e ''End Game''. Uma senhora larica!

0 comentários: