Bob Marley & The Wailers: a elevação de Easy Skanking In Boston '78

Uma coisa boa sobre a música, é que quando ela nos atinge, a dor é inexistente. Infelizmente, essa belíssima frase não é minha, esse floreio poético é da autoria de um dos maiores mensageiros de todos os tempos, surgiu do fundo do peito do poeta guerrilheiro, Bob Nesta Marley.

Essa sentença é um retrato de tudo que Bob foi era, é e sempre será. Resume o espírito de suas palavras de ordem, mas também apoia o conceito de sua música: belos arranjos para abordar temas paradoxalmente terríveis. Sua música é uma granada.


E o mais impressionante é que mesmo depois de nos deixar, suas crenças não sumiram, muito pelo contrário, o nome de Bob é ainda muito presente neste planeta. Suas músicas continuam atingindo as pessoas certas e seu legado é um patrimônio histórico que nem precisou ser arquitetado. Assim como Marley, ele só precisou ser.

Se estivesse entre nós, o maestro jamaicano completaria 70 primaveras em 2015, marca histórica que não poderia passar desapercebida. E foi com isso mente, que a família do mito credenciou a Universal Music Group, dando, assim acesso pleno aos milhares de metros de história inseridos nos rolos de fita que os dreads de Judah nunca lançaram.


Track List:
''Slave Driver''
''Burnin’ & Lootin''
''Them Belly Full''
''The Heathen''
''Rebel Music''
''I Shot the Sheriff''
''Easy Skanking''
''No Woman No Cry''
''Lively Up Yourself''
''Jamming''
''War / No More Trouble''
''Get Up Stand Up''
''Exodus''


E para inaugurar esses novos tempos de prósperos lançamentos, o primeiro disco já foi liberado. Trata-se do fantástico ''Easy Skanking In Boston '78'' (lançado no dia 10 de fevereiro de 2015), show retirado de uma excelente apresentação do senhor Marley e cia (The Wailers), no Boston Music Hall, no dia 8 de junho de 1978. 

A história nos conta que, à época, a banda estava em tour, apoiando o lançamento de Kaya (liberado no dia 23 de março daquele ano), mas como eles fizeram dois shows no mesmo dia, não sabemos se este set é da primeira apresentação ou da última, algo que depois do play é um mero detalhe técnico.


Com um som finíssimo, bem tratado e uma apresentação bombástica, essa nova série de lançamentos só prova o quanto a família Marley (dona de seu espólio), respeita tudo que esse gênio construiu. Diferentemente da família Hendrix, por exemplo, que lança material do guitarrista a torto e a direito, sem muitas vezes considerar a possibilidade de manchar a imagem de um signo.

Mas aqui não, os reverendos de sobrenome Marley estão focados em lançar material de qualidade para que assim como uma utopia, o som do oriundo de Trench Town siga inspirando as pessoas eternamente. A missão exige esforço, mas com registros desse nível o objetivo está próximo, vale lembrar também que além de sair em CD, este show também conta com uma bela edição em DVD!



Temos aqui mais de uma hora e dez de muito som. Uma das melhores apresentações da história da banda, uma qualidade sonora que deixa os bootlegs da época no chinelo e que nos revela, com qualidade de estúdio, como foi um dos shows mais pedidos pelos fãs do messias da Jamaica.

Pense, filosofe e critique ao som de ''Slave Driver''. Lute, sinta a energia da sintonia ideológica com ''Burning & Lootin'''. Se rebele com ''Rebel Music'', mostre vontade, cutuque os grandes e não deixe que o matem depois que vocês cresça, atire no cherife.

Com um set list desse nível e uma das noites mais inspiradas instrumentalmente falando, o Wailers vai dar play na jam e linkar todas as faixas uma na outra. É intenso, nos leva às lágrimas e deixa claro que esse homem não tinha tempo a perder. De ''No Woman No Cry'' até ''Exodus'' são 6 temas, aqui, parece tudo uma coisa só, mas no fim o disco é tão unido quanto o conceito que criou todo esse colosso. A paz.

Obrigado Bob, obrigado por tudo isso.

0 comentários: