Gregory Isaacs: o elixir de Live At The Academy Brixton

O Reggae é um estilo que, citando os Racionais MC's: não é tão bem difundido ''da ponte pra cá''. Por ponte, subintende-se Jamaica, já o pra cá, depende de sua localização geográfica, de resto creio que tenha me feito bastante claro. O problema é que, como se não bastasse o fato da vida não ser justa, certos sons da terra de I and I se perderam no atlântico e, por mais tradicionais que sejam, hoje, são divulgados apenas em celeiros sonoros. 

Gregory Isaacs foi um dos maiores interpretes da música. O Jamaicano também foi um dos maiores expoentes do Reggae e sua lábia roots fez com que sua música fosse eterna. Então por que seu legado está sumindo? Faz 5 anos que um câncer de pulmão o levou deste plano, mas por que suas conquistas atemporais começam a ruir das colunas de vosso templo histórico?


Correndo o risco de levantar questões de suma importância, mas talvez não solucionando todas, essas linhas visam exaltar a arte de um cidadão que realmente viveu o que cantou. Semeando o que acreditava e colhendo o que sentia.

Saíram mais de 500 discos com o nome desse cara na capa (entre bootlegs, compilações, discos ao vivo e de estúdio). Foram mais de 40 anos de carreira e muita água passou por debaixo dessa ponte para que registros como ''Live At The Academy Brixton'', sejam varridos pelas areais da geração Y.


Track List:
''My Number One''
''My Only Lover''
''All I Ask Is Love''
''Love Overdue''
''Mr. Brown''
''Storm''
''Slave Master''
''Border''
''Soon Foward''
''Oh, What a Feeling''
''Sunday Morning''
''Addicted To You''
''Frontdoor''



Gravado sob a tutela de banda de apoio da Roots Radics, ''Live At The Academy Brixton'' é apenas uma amostra da grandeza deste senhor. O Rasta favorito de Keith Richards foi uma das vozes mais peculiares do raga e, nesta noite, seu instrumento de trabalhou enlouqueceu a todos, a mulherada que o diga.

O ''the cool ruler'' fez o de sempre. Entrou como quem não quer nada e saiu como quem tinha tudo. E ele de fato ostentava. Só na entrada para o palco dava pra sacar que a platéria estava em sua mãos.


Eis aqui um LP que comprova: o Reggae é um estilo místico. Todo mundo fala que a pegada é a mesma. De fato, isso até podemos descobrir, mas quem diria que um retorno a mais, obra da lenda viva, Lee Scratch Perry, nos faria a cabeça para sempre? Quem gosta da pegada do filho do Rocksteady sabe que o baque é pra vida toda, esse então nem se fala!

A apresentação é digna de ser listada como uma das maiores gravações ao vivo de todos os tempos. A qualidade sonora é brilhante, afinal de contas além de nos apresentar Gregory e sua bela voz, garante a patente do groove com um ato (Roots Radics), que fez a base para todo os maiores nomes do estilo, como Bunny Wailer, Prince Far I, Michal Prophet, dentre outros mitos.

Por isso, na hora do play, vá na moral, a excelência já está garantida, basta apenas andar no ritmo da batido da open track (''My Number One''), sentir a cadência clássica de ''Love Overdue'' e tomar contato com um LP perfeito para ser introduzido ao mundo de Isaacs.

Não sou muito fã de trocadilhos, mas para apreciar a obra do maestro, peço que entrem pela ''Frontdoor'', a vida é curta demais para que versões estonteantes de ''Sunday Morning'' e ''Addicted To You'' não sejam ouvidas com a devida atenção. É hora de celebrar, aumentar o volume na parte A de ''Mr. Brown'' e venerar um gênio. ''All I Ask Is Love'' é sua carta aberta para este mundo!



0 comentários: