O fantástico Red Garland Trio - Swingin' On The Korner: Live At Keystone Korner

O que é a vida. Você ai na sua varanda gourmet, explorando o lado direito do cérebro e o Dionísico da vida. Tomando um vinho da Toscana, advindo, talvez, de uma safra longínqua, beirando o ano de 1973...

Malandro é malandro. Aperte play no Red Garland e deixe o marfim do Blues tomar conta do Jazz. Poucas coisas na vida carregam o valor trufado da excelência, tal qual esse registro. Ao som dessa pérola uma ida à padaria torna-se uma epopéia. A fanta laranja vira Veuve Clicquot, o meu Celta faz cosplay de Maserati e a janela do seu quarto, se transforma numa quase poética varanda gourmet.


Line Up:
Red Garland (piano)
Leroy Vinnegar (baixo)
Philly Joe Jones (bateria)



Track List CD1:
''Love For Sale''
''I Wish I Knew''
''It's Impossible''
''Billy Boy''
''Dear Old Stockholm''
''If I'm In Luck''
''Blues In Bebop''
''On Green Dolphin Street''


Track List CD2:
''Straight No Chaser''
''On A Clear Day''
''The Christmas Song''
''The Best Things In Life Are Free''
''Never Let Me Go''
''Autumn Leaves''
''Bags' Groove''
''It's All Right With Me/The Theme''


Esse live resgatado das cinzas do esquecimento (gravado entre os dias 6-10 de dezembro de 1977), é capaz de colocar em notas, qual é a progressão de sua vida, seja pensando nos acordes do dia-a-dia ou lembrando de passagens comuns. Pois é exatamente nesse meio termo que reside o brilhantismo, deste que, sem brincadeira, é um dos maiores registros ao vivo da história do Jazz.

A reunião desses 3 excepcionais músicos apenas endossa a relevância, mas o conteúdo dessa gravação é sublime num nível que engradece até as memórias mundanas. E o faz de um modo tão perceptível e repleto de feeling, que o ouvinte terá até uma hora e dia específico para apreciar essa dádiva.

Rotações atemporais que apenas um Rolex seria digno de ser chamado para bailar com os ponteiros. Marcando histórias e flashes, que na memória, irão nos fazer lembrar do peculiar pianista que Miles Davis, um dia, teve a honra de dividir um corner na jam.


Com um duplex de longas faixas e aquela abordagem Bluesy que apenas esse grande mentor poderia prover, sentindo cada nota como um Chet Baker pianista, ''Swingin' On The Korner'' resgata um show primordial para a história do tradicionalíssimo Keystone Korner, de São Francisco.

Recuperando uma inédita gravação de 1977 que para muitos eruditos do mundo do Jazz estava perdida, a Elemental Music fez um trabalho fantástico e que além de relembrar um mestre que jamais deveria ser esquecido, ressalta o fraseado único de um dos pianistas mais finos que já passaram por aqui.

E para mostrar que além de um dos maiores sidemans da história (tendo dividido os holofotes ao lado de mestre como Coleman Hawkins, John Coltrane e Art Pepper), Red foi também um dos maiores mestres na arte de comandar seus trios, aprecie a cozinha de Philly Joe Jones e Leroy Vinnegar.



Por isso, sente-se numa posição confortável e escute a única apresentação que o mestre fez ao lado do galope de Vinnegar e da enérgica síncope de Joe Jones. Porque o entrosamento entre grandes mestres é assim mesmo, aparece na hora e eterniza algo nos Jazzísticas que nenhum outro tipo de músico possui: a capacidade de se adequar... Escutar o tilintar de Garland é fabuloso também por isso, ele tocava com qualquer um e só o fez ao lado dos maiores.

E quando você tem o groove meu caro... Aí são outros 500. Sempre veremos casos daquele cara que tenta insistir no erro, dá até vontade de chegar no cidadão e falar: amigão, passa a bola. Ter esse equilíbrio no R&B não é pra qualquer um, perceba que o ''Swingin''' ali no nome do disco não é enfeite, é praticamanete um alcunha destinada ao sempre relaxado aristocrata do piano. 

Escute sua distinta abordagem para as baladas standards, ''Love For Sale'', ''On Green Dolphin Street'' e ''Autumn Leaves'' e perceba o quanto o americano deixa o ritmo suculento e apaixonante. A bateria de Philly Joe é outro deleite. É notável como ele consegue intercalar passagens suaves com outras que se transformam na força motriz da cozinha, enquanto Leroy mostrava a caminhada signature de seu grave acústico, com um padrão de domínio técnico poucas vezes visto.

Mais de duas horas do mais puro Jazz, gravado num dos mais esplendorosos berços do estilo e com uma qualidade absurda. Muito obrigado Elemental Music, agora aperte play e agradeça ao Red também!

0 comentários: