Upside Downside & a guitarra jazz de Mike Stern

Nesse mundo globalizado, é bem comum ver a renovação e modernização de estilos, e mesmo que poucas pessoas prestem atenção, o Jazz segue um fluxo rumo a um futuro muito interessante. Afinal de contas ele se tornou contemporâneo, e nomes como George Benson, Lee Retenour e Mike Stern são grandes expoentes desse capítulo da música.

Mike Stern foi um dos últimos guitarristas de Jazz que conheci em tempos recentes e um dos que mais gostei. Mas é aquela história, fora do Brasil o americano é absurdamente conceituado, não só pela parte técnica, mas sim por sua experiência, tendo gravado com nome como Miles Davis e Billy Cobham, por exemplo.


Só que mesmo assim, seu Jazz ainda é um tanto quanto anônimo no Brasil. São quinze discos de estúdio, mais de trinta anos de carreira e momentos simplesmente inspiradores. O de hoje atende pelo nome de ''Upside Downside'', o segundo disco do guitarrista, lançado em 1986.

Line Up:
Mike Stern (guitarra)
Mitchel Forman (sintetizadores/piano)
Dave Weckl (bateria)
Steve Jordan (bateria)
Dr. Gibbs (percussão)
Mark Egan (baixo)
Bob Berg (saxofone)
Jeff Andrews (baixo)
David Sanborn (saxofone)
Jaco Pastorius (baixo)



Track List:
''Upside Downside''
''Little Shoes''
''Goodbye Again''
''Mood Swings''
''After You''
''Scuffle''


Quando o assunto é feeling, esse trabalho é um dos mais conceituados que já ouvi. O que mais impressiona é a sintonia que a banda mantém do início ao fim do disco. É fácil notar que trata-se de um instrumental de nível altíssimo, mas a qualidade é tamanha, que você é simplesmente levado pelo brilho de todos os músicos envolvidos. A sintonia é perfeita e o timbre de Stern, delicioso.

Em relação à abordagem da guitarra, esse disco não é uma demonstração dos solos endiabrados que Mike produz com a calma de um monge, mas o sentimento por sua vez, é absurdo. Com linhas bem na pegada Cool Jazz, sempre com um baixo no tom perfeito e um sax lindíssimo, a grande tônica desse disco é a liberdade das linhas e os tons sublimes das mesmas.


Eis aqui o CD ideial para mostrar para aquele seu amigo guitarrista barulhento . É a prova viva de como se faz algo impactante, sem ter que necessariamente, ficar surdo para isso, tampouco tocar mil notas por segundo.

Gosto de dizer que nesse CD o revendo Stern toca como uma pessoa calma numa discussão, deixando o encrenqueiro desconcertado da melhor forma possível: se mostrando firme, irredutível e falando baixo.

São 35 minutos do mais fino Jazz. ''Little Shoes'' e ''Mood Swings'' são faixas que foram assobiadas por mim durante meses a fio. Um som enxuto e que se mostra aberto e receptivo aos novos ouvidos que buscam por mudanças no Jazz.

0 comentários: