Booker T. & The M.G.'s: O R&B Fab Four de McLemore Avenue

Beatles... Desde de moleque ouvia falar dos caras, via fotos deles e achava engraçado o cabelo tigelinha (pouco tempo depois descobri que eu também usava), mas enfim, coisas da vida. O estranho nisso tudo é que apesar de sempre ver algo ou até mesmo ouvir um som dos britânicos, acabei nunca me interessando muito pelo fervor que envolve o Fab Four.

Nessa época gostava de sons mais pesados (minha primeira escolha musical foi o Iron Maiden), e assim a minha vida seguiu. Com o tempo, fui desvendando outros estilos, conheci o Prog, me apaixonei pelo Funk, ouvi o Jazz (ainda estou nele por sinal), mas e os Beatles?


Escutei todos os discos de estúdio durante meu ''tempo livre'', mas o fato é que até hoje os Beatles não me atingiram em cheio. Sempre achei muito ''Yeah Yeah Yeah'' e mesmo a fase mais psicodélica não me agradou muito não...

Respeito os caras por que afinal de contas é inegável que eles eram brilhantes. Todos foram (e alguns ainda são) excelentes músicos e é nítido que eles influenciaram quase tudo que surgiu depois. Só que pra compensar os lucros e dividendos, enquanto os Beatles não me cativaram o bastante, o Booker T. & The MG's, por outro lado, me deixou maluco.


Tudo mundo já viu a foto acima, aliás, o que não falta é clichê dela, até os Simpsons já atravessaram esta ''ilustre'' faixa de pedestres. Dos discos que escutei dos Beatles esse foi o que mais gostei (afinal de contas, é um clássico absoluto) mas o problema é que alguns dias depois de ter ouvido o LP, estava conversando com o meu pai e ele falou para que eu escutasse Booker T. & The MG's.  Não sabia do que se tratava, mas no mesmo dia fui lá e baixei este disco.

Line Up:
Booker T. Jones (piano/órgão/teclado/guitarra)
Steve Cropper (guitarra)
Donald ''Duck'' Dunn (baixo)
Al Jackson, Jr (bateria)



Track List:
Medley: ''Golden Slumbers/Carry That Weight/The End/''Here Comes The Sun/Come Together''
''Something''
Medley: ''Because/You Never Give Me Your Money''
Medley: ''Sun King/Mean Mr. Mustard/Polythene Pam/She Came In Through The Bathroom Window/I Want You (She's So Heavy)''

Quando o ''Abbey Road'' dos Beatles saiu, em outubro de 1969, o mundo todo pirou, afinal de contas. Repleto de composições sensacionais, esse divisor de águas deixou claro que a banda não estava ''acomodada'', eles sempre tentavam se reinventar, mexendo num time que JÁ estava ganhando. 

Poucos meses após o furacão ''Abbey Road'', o reverendo Booker T. resolveu que a única maneira de retribuir o que os Beatles haviam feito pela música, seria por meio de um disco recheado com covers do mesmo disco que ele tanto amou. Pessoalmente, acho esta história de covers muito complicada, é difícil chegar e fazer um cover dos Beatles, quanto mais de um CD inteiro!


Quando escutei não tinha visto a capa nem nada, coloquei os fones e comecei a sentir o drama, mas quando a bolacha começou, surgiu a desconfiança... Parecia que já tinha escutado aquilo antes. Foi aí que entrei no Google e quando percebi, esbravejei: SABIA!

Esse LP é maravilhoso. O conteúdo é todo formado por jams repletas de feeling e plenamente alimentado por um Soul cheio de swing e alma. Insights invocados que, em meio às insanas improvisações do grupo, ainda acrescentavam um pouco de Beatles na jogada. Sente-se e relaxe, agora vai sair o camisa 10 John Lennon para a entrada do número 11: Booker T. Jones.


O Booker apelou... O órgão reina soberano, elegante, fino, tocante. Enquanto a jam se desenrola o combo vai jogando um pouco de Beatles na jogada, lentamente, sempre com a classe de temas como ''Golden Slumbers'', por exemplo. 

Depois surge ''Come Together'' e aí o colosso está instaurado. Sentimos o feeling de um som limpo, cristalino clássico até a última gota, e depois de ''Carry The Weight'', ''The End'' e ''Here Comes The Sun'', fechamos a primeira parte com um nível de swing que toma conta da sua mente, da sua casa, carro e família. Nada mais lhe pertence meu chapa, agora a negociação é com a galera do MG's.


Talvez o grande lance com esse LP seja perceber o quanto essa banda faz parecer fácil tocar um repertório deste nível. A bateria de Al Jackson é inspiradora, mas todos fazem um trabalho impecável. O baixo de Donald ''Duck'' Dunn, por exemplo, mostra um timbre sereno, mas sempre bastante presente.

Mas a fritação é no estilo banho maria. Começando em ''Sun King'' e finalizando o tira teima com a icônica ''I Want You (She's So Heavy), este último medley promove o encerramento de um dos maiores discos que o senhor ouvirá em sua vida. 

Não curto muito ouvir os Beatles, mas é aí que está a grandeza dos pontuais ingleses, basta sacar que as composições do combo foram tão geniais, que até outros mestres da mesma profissão foram pagar o dízimo!

3 comentários:

  1. Antes de tudo parabéns pelo blog e pela qualidade dos textos. Esse disco é incrível e um dos meus preferidos do Booker T. & The MG's, grupo que eu curto bastante há muito tempo. Saudações e que a boa música tenham sempre o seu espaço garantido.

    Luis Carlos Pael
    Ponta Porã - MS

    ResponderExcluir
  2. Antes de tudo parabéns pelo blog e pela qualidade dos textos. Esse disco é incrível e um dos meus preferidos do Booker T. & The MG's, grupo que eu curto bastante há muito tempo. Saudações e que a boa música tenham sempre o seu espaço garantido.

    Luis Carlos Pael
    Ponta Porã - MS

    ResponderExcluir
  3. Agradeço pela força Luis, Booker T. é, de fato, um som muito fino. Seguirei divulgando os bons grooves, saudações paulistas e muita jam no no nosso bolso!

    ResponderExcluir