Isaac Hayes & o gratino de Hot Buttered Soul

Engraçado como certas coisas dão errado, mas no fim acabam dando certo. Muitos músicos possuem histórias engraçadas sobre seus primeiros trabalhos, desde tretas relacionadas com um baixo número de vendas, até problemas com os críticos que falaram mal de discos (que anos depois viraram clássicos)... São diversos relatos, mas nunca vi nenhum tão intenso como o background que envolveu o segundo disco do Isaac Hayes. O fantástico e exuberante ''Hot Buttered Soul'' (lançado em 1969), quase não viu a luz do dia.

Line Up:
Isaac Hayes (vocal/teclado)
Willie Hall (bateria)
James Alexander (baixo)
Michael Toles (guitarra)



Track List:
''Walk On By'' - Burt Bacharach/Hal Davis
''Hyperbolicsyllabicsesquedalymistic''
''One Woman'' - Charles Chalmers/Sandra Rhodes
''By The Time I Get To Phoenix'' - Jimmy Webb


Quem escuta esse disco hoje em dia (ou até mesmo na época), mal sabe os apuros que nosso herói teve que passar para registrá-lo. Tudo teve início quando Isaac lançou seu primeiro disco, o competente ''Presenting Isaac Hayes'', um ano antes. O trabalho vendeu tão mal que o pianista pensou até em largar seu cargo de front man nos palcos e voltar para o backstage como produtor! 

Mas graças a deus que a Stax perdeu todo o catálogo do label (sabe-se lá como) e, como isso, Hayes teve mais uma oportunidade, pois segundo consta nos relatos, o material que sumiu era uma grande gama de grooves.

Notas quentes que se foram durante a divisão com a Atlantic Records, e o executivo da Stax na época, Al Bell, decidiu chegar para todos os artistas que a companhia tutelava e requisitar material inédito para poder relançar todo um novo catálogo.

E assim sendo, nomes como o do próprio Hayes e do guitarrista Steve Cropper, por exemplo, foram encorajados a gravar mais alguns takes e o resultado foi fantástico. Mesmo na estréia o som de Hayes já era muito bom, foi falta de sorte mesmo, mas no fim valeu a pena o sofrimento.


Temos aqui um marco do Soul, até mesmo do Funk (e do Jazz), por ter influenciado muitas bandas do estilo e futuramente do Hip Hop. São apenas quatro faixas, mas como resultado final, temos 45 minutos de uma música de excelente qualidade e duas suítes absolutamente formidáveis: os doze minutos do cover ''Walk On By'' de Burt Bacharach (que acabou ficou tão famoso com Hayes que muitos até pensam ser composição do americano) e os quase 20 de ''By The Time I Get To Phoenix'' outro cover, desta vez de Jimmy Webb.

Aqui que o som de Hayes, aquele Soul rico sempre fundamentado em sua voz poderosa, camadas de guitarras, metais e grandes trabalhos de piano e órgão seria definido. Esse trabalho, além de ser um clássico, é um marco criativo e quem gosta da longa obra que o músico nos deixou, conhece a força de suas longas jams.

''Walk On By'' estabelece um clima, o wah wah da guitarra é talvez um dos momentos mais conhecidos da música. ''Hyperbolicsyllabicsesquedalymistic'' além de um nome que chama muito atenção, aparece com a receita mais ácida do disco e a única composição de Hayes para este LP.

As notas parecem simplesmente escorrer pelas mãos do mestre. Parece tudo obra de uma fabuloso e longuíssimo primeiro take. Aperte play em ''One Woman'' e sinta a liberdade, escute a paixão. Considero que essa beleza seja um dos discos mais bem produzidos de todos os tempos. Um pedaço grandioso de Opera Soul, se é que esse termo existe. ''By The Time I Get To Phoenix''  é uma das maiores músicas de todos os tempos, abaixe o vidro aí e sinta o vento batendo no rosto enquanto o a goma corre solta.

0 comentários: