Mahmundi comprova: não somos de açúcar!

Como lidar com aquele domingo que já começa com duas poças chafurdadas com o mesmo pé canhoto? O que pensar? Bom, ainda bem que sou destro. Atravessar a Avenida Paulista, rumo ao Mirante 9 de Julho foi complicado...

Fotos: Luis Sontachi

Talvez um dos maiores chichês ''resenhístiscos'' - citar uma jornada sob um péssimo panorama meteorológico - mas galego, valeu a peleja do Diabo com o dono do céu, já dizia Zé Ramalho. Melhor ainda foi chegar e topar o mirante muito bem povoado pra ver a Mahmundi.

A vista estava apinhada de guarda chuvas e, tão logo chegaram as 15:00 horas pelo horário de Brasília, o DJ Yugo mandou um risca faca finíssimo pra fazer o relógio marcar 16:30 como se fosse questão de 15 minutinhos.

Fotos: Luiz Sontachi
Daí pra frente só deu Mahmundi. Ela foi chegando na calma, dando os últimos ajustes no som e, depois da primeira faixa, já embalou. Enquanto isso, a vista das costas do Masp se misturava ao quê panorâmico da estrutura do Mirante, e o Neo-Groovy da carioca fazia o resto, tudo com direito a uma singela percussão do Sr. São Pedro.

Fotos: Luiz Sontachi

Quando o Ed Motta dedicou um post para essa sinuosa mucisista, creio que o fã mor de Steely Dan foi elementar quando salientou a abordagem de sua criatividade. Mais do que habitar os meandros do Pop, Marcela Vale mostra como ainda é possível evoluir e criar momentos tão leves e ricos, sem ao mesmo tempo compactuar com aquele mimimi monossilábico, sem feeling e ousadia, que caracteriza o perfil do que é feito no cenário atualmente. 

Sua música é fresca, genuína, orgânica, tem bom gosto e pulsa nos arranjos. Deixa o céu domingueiro azul, como num eterno verão. Deságua versos poéticos na batida dos hits do seu coração, e mostra que se o clima for leve, vale a pena até sair na chuva e confirmar que não somos de açúcar.

Fotos: Luiz Sontachi
Somos de groove. E o tilintar de orvalhos reverberando nos guarda chuvas valeu até um bis pra quem foi prestigiar a moça e seu inspirado trio. Climas profundos, minimalistas e aquele DNA que olha pra frente... Podem suspirar aliviados, as gotas já pararam de dançar, mas basta apertar play pra relembrar os 60 minutos de alquimia que os presentes observaram no domingo. É como dizem: ''Enquanto o dia vai, a gente se distrai''.

0 comentários: