A nobreza do Renaissance no Prog de Grandine iI Vento

Para os mais conservadores, a música atual não presta e só tenta copiar tudo de bom que já foi feito. Creio que essa seja uma linha de pensamento ríspida demais, mas existem pontos que de fato são impossíveis de negar.

Aliás, acredito que a gama de qualidade entre o período áureo de criatividade sonora ('70), e a fase meio pluricelular dos Indie's e alternativos, não são capazes de sustentar um padrão consistente para negar essa tese ou pelo menos partir pra trocação de igual pra igual.


Por isso que para os mais conservadores a melhor coisa é quando uma banda dos anos setenta volta à ativa e ainda o faz com trabalhos excelentes. Não basta apenas voltar e ficar mantendo as atividades com tours de reunião, não, o que os fãs realmente querem é material novo e um bom material. E foi exatamente isso que o Renaissance fez, provando que os hiatos foram superados e que o futuro será próspero e belo, igual ao Rock Progressivo de ''Grandine iI Vento'', lançado em 2013.

Line Up:
Annie Haslam (vocal)
David J. Keyes (baixo)
Rave Tesar (teclado)
Frank Pagano (bateria/percussão)
Jason Hart (teclado)
Michael Dunford (guitarra)
Ian Anderson (flauta)
John Wetton (vocal)



Track List:
''Symphony Of Light''
''Waterfall''
''Grandine iI Vento''
''Porcelain''
''Cry To The World''
''Air Of Drama''
''Blood Silver Like Moonlight''
''The Mystic And The Muse''
''Carpet Sun'' (Live) - Japão


De 1969 até meados de 1987 tudo ia muito bem no front do Renaissance, depois rolou hiato até 1998. Quatro anos de trabalho seguidos, depois, um clássico "split up", como diriam os gringos. Mas de 2009 pra frente o Groove segue pulsando (renovadíssimo diga-se de passagem) e agora  sem data de validade, por que depois que a banda perdeu o guitarrista Michael Dunford (em virtude de uma hemorragia cerebral) e segue com as tours de maneira inabalável, fica difícil de projetar um fim, ainda mais depois desse CD.

Excelente e oportuno de cabo a rabo, ''Grandine iI Vento'' é um passeiio pra lá de sereno entre a bela ponte música Erudita-Rock Progressivo que a banda sempre destilou com maestria. Com temas longos como ''Symphony Of Light'', muito bem tocados e instrumentalmente exuberantes, ''Grandine Il Vento'' nos mostra como os detalhes são a alma do negócio.



Músicas sublimes como ''Waterfall'' invadem o ambiente e planam enquanto reverberam, tamanha a leveza da Jam. Talvez o mais absurdo disso tudo, além do óbvia complexidade deste enredo, é ver que Annie Haslam canta temas como a faixa título de maneira belíssima, sendo que a cidadã já passou da casa dos 60 anos! 

É realmente algo a ser estudado, mas enquanto você fecha os olhos para a voz da britânica, não se esqueça de aplaudir a participação do Jethro Tull ao som de ''Cry To The World''. A criatividade segue trilhando o caminho da banda com temas sinuosos como ''Air Of Drama'', ''Blood Silver Like Moonlight'' e ''The Mystic And The Muse''. Eis aqui um disco de fato surpreendente, e se você tiver contatos no Japão, ainda rola a trip aveludada de ''Carpet Sun'' como bônus. Coisa fina!

0 comentários: