Life On Planet Groove - No passinho do Maceo Parker

O que seria do Funk sem a adição de metais? O que seria do Jazz sem o groove metálico... Até o Rock Progressivo já sentiu a embutida de um bom naipe no time, e o King Crimson está ai pra provar como essa mistura faz diferença nos caminhos da jam.

Metais causam boa impressão. Eletrificam todas as cozinhas e fazem com que as notas sejam mais interessantes. A dinâmica muda, a liberdade do sax, trompete, trompa, trombone e derivados é um convite a imersão criativa.


Do Hip-Hop ao Soul, passando pelo Ska até a MPB, pode crer que o sax faz diferença. O groove aumenta até a marra se ele manja que vai rolar um duelo de sopro. O por do sol é um solo de sax meu caro! Carrega aquele tempero agridoce que deixa os apaixonados por groove com vertigem quando não conseguem achar aquele som com a classe de uma orquestra.

É uma fixação necessária, algo que para ser entendido precisa ser sentido, escutado e grooveado até o caroço. Ouse ouvir uma gravação na pegada de um ''Life On Planet Groove", por exemplo. Se não tivesse o saxofone do Maceo Parker ali pode crer que o estrago seria muito menor... Aperte play nesse petardo e veja como o Lounge do elevador fica a milhas de distância quando rola uma cozinha abençoada pelo Fred Wesley.

Line Up:
Maceo Parker (saxofone/vocal)
Candy Dulfer (saxofone)
Larry Goldings (órgão)
Vincent Henry (baixo/saxofone)
Rodney Jones (guitarra)
Pee Wee Ellis (saxone/flauta/vocal)
Kym Mazelle (vocal)
Kennwood Dennard (bateria)
Fred Wesley (trombone/vocal)



Track List:
"Shake Everything You've Got"
''Pass The Peas"
''I Got You (I Feel Good)" - James Brown
''Got to Get U"
"Addictive Love"
"Children's World"
"Georgia On My Mind"
"Soul Power 92" - James Brown/Bootsy Collins/Maceo Parker


Se existem 2 nomes que nortearam grande parte da produção criativa quando o assunto é sax e trombone, esses dois meliantes são o Maceo Parker e o Fred Wesley. Dupla norte americana das mais ácidas e respeitadas mundialmente quando o assunto é aquele som que lhe faz girar os glúteos, Fred e Parker trabalharam com James Brown durante a década de 60 e arranjaram grande parte dos clássicos do xerife do Soul.

Mais pro fim dos anos 60 ambos ficaram cansados das ego trips de Brown e largaram o barco rumo ao Parliament-Funkadelic. Junto de George Clinton, ambos encontraram uma inédita liberdade, tanto tóxica quanto criativa, que com toda a certeza contribuiu para que eles criassem e arranjassem algumas das melhores composições de suas respectivas carreiras.


Depois das devassas aventuras nos anos 70, ambos acabaram se distanciando do núcleo de Clinton, Bootsy Collins e cia, rumando para o sucesso, também em carreira solo. E se você almeja entender por que tanto Brown quanto Clinton sofreram baixas criativas no fim dos '70 e começo de '80, basta ouvir esse disco pra sacar a perícia de um Funk que aqui vaza pelo ladrão, mas que na terra de seus ex-patrões ficou mais escasso que o saldo da minha conta.

Gravado ao vivo no clube de Jazz alemão Stadtgarten (localizado na cidade de Colônia), "Life On Planet Groove" é uma aula de dinamismo sonoro. Extrapolando a casa dos 74 minutos de som dentro de um combo de 8 faixas cretinamente swingadas, essa gravação é a prova dos efeitos de um bom time de metaleiros.


Ela inclusive já mostra como em termos musicais, Maceo Parker tornou-se um músico mais ousado que Fred, talvez em função de suas desventuras com Prince. Aliás, se ligue no vigor dos arranjos da suíte "Shake Everything You've Got", logo na abertura do disco, para entender como o swing dos caras é vertiginoso. Como se não bastasse tocar dessa forma, ambos, tanto Fred quanto Maceo, ainda cantam com uma facilidade irritante.

Contando com monstros como Pee Wee Ellis na flauta, sax e também na voz, esse disco é a prova cabal para compreender que sem groove nós não viramos nem a esquina. "Pass The Peas" chega invocando o espírito de Brown com a mesma sutileza de um elefante numa loja de cristais. Logo depois com "I've Got You (I Feel Good)" e o estouro do baile em "Got To Get U", fica fácil perceber que a concepção criativa desse disco é bastante clara: 98% de Funk com 2% de Jazz.

Mas veja que apesar de todo esse furor sexy do Funk, ainda sobram momentos mais comportados, apesar de todo o PH sonoro dessa acidez regada a perdição dos slaps. Com "Addicted To Love" e "Children's World'', Maceo & banda começam a dar uma segurada no caldo para rachar o assoalha em "Georgia On My mind" e explodir ao som de "Soul Power 92"... Duvido que esse show rolou num clube, dava pra encher um estádio fácil fácil com todo esse groove.

Cuidado pra não cair pra trás. Entendeu por que o mundo precisa de metais?!

0 comentários: