O show do Allman Brothers no Atlanta Pop Festival foi tão brilhante quanto o Fillmore East e ninguém sabe

O disco ao vivo que o Allman Brothers gravou no Fillmore East é uma das maiores apresentações ao vivo de todos os tempos. Lançado em 1971 pela Capricorn Records, o live que foi o terceiro lançamento do grupo e que contou com a produção de Tom Dowd, é uma das maiores apresentações musicais que já aconteceram no Fillmore, seja ele o East ou o West, ambas  as casas tuteladas pelo promotor alemão, Bill Graham.

Num registro que compila 3 noites fantásticas em Nova York, a banda liderada por Duane Allman desafia seus próprios temas através de vertiginosas improvisações. Com um approach sulista tão enraizado, porém capaz de romper os limites do Jazz, Gospel e Blues, o Allman Brothers atingiu um novo patamar musical quando registrou essa performance.


Mas o que poucas pessoas sabem é que 8 meses antes desse show, o grupo registrou uma apresentação que é tão boa quanto essa ou, pasmem, ainda melhor. Foi na segunda edição do Atlanta Pop Festival, realizada durante os dias 3 e 5 de julho de 1900 e setenta, que Gregg Allman & cia sulista eternizaram outra prova inexorável de como uma apresentação ao vivo pode ser eterna.

Foi na segunda edição do festival organizado por Alex Colley que o Allman Brothers brilhou. Vale lembrar que essa foi a segunda edição do festival, que em 1969 tinha acontecido 1 mês antes do Woodstock.

Outro ponto histórico relevante é que foi nessa edição, no dia 04 de julho pra ser mais exato, que Jimi Hendrix tocou para a sua maior plateia americana, graças a um público estimado entre 300-400 mil ouvintes que aguardaram sua apresentação como headliner na segunda edição do festival. Dois meses depois o cherokee não estava mais entre nós. Para conferir a matéria sobre esse show, basta clicar aqui.

Line Up:
Gregg Allman (órgão/teclados/vocal)
Duaner Allman (guitarra)
Dickey Betts (guitarra)
Berry Oakley (baixo/vocal)
Butch Trucks (bateria)
J. Johnny Johnson (bateria/percussão)
Thom Doucette (gaita)
Johnny Winter (guitarra na longa versão de "Mountain Jam" - CD2)



Track List CD1 - 07/03/1970
"Introduction"
''Statesboro Blues"
"Trouble No More"
"Don't Keep Me Wondering"
"Dreams"
"Every Hungry Woman"
"Hoochie Coochie Man"
"In Memory Of Elizabeth Reed"
"Whipping Post"
"Mountain Jam Part I"
"Rain Delay"


Track List CD2 - 07/05/1970
"Introduction"
"Don't Keep Me Wondering"
''Statesboro Blues"
"In Memory Of Elizabeth Reed"
"Stormy Monday"
"Whipping Post"
"Mountain Jam"


Foi no início e ao mesmo no ápice dos grandes festivais, que 1969 e 1970 forraram a história da música com incontáveis grandes line ups. Festivais do nível do Randalls Island, Texas International, Kickapoo Creek, Miami Pop, Galena, White Water e tantos outros, esse momento histórico foi a prova de como a música não só precisava, mas estava chegando a um número cada vez maior de ouvidos.

Tudo prosperava a favor, não só do Allman Brothers, mas de todos os grandes artistas dos '60 & '70 e a prova disso é o line up da segunda edição do Atlanta International Pop Festival. Se liga:


O primeiro set do ABB começou perto das 15:00 horas do dia 03 de julho. Seguindo aquele padrão de duração do Grateful Dead, o primeiro round de improvisos duraram algumas horas e ainda contaram com a participação do amigo e colaborador da banda, Thom "Ace" Doucette.

Com atenção aos temas presentes no segundo disco do grupo, "Idlewild South", que sairia em setembro do mesmo ano, o laboratório do Skydog ainda teve a moral de mandar uma versão de "Hoochie Coochie Man", com os vocais do pai de família, Berry Oakley.


A segunda hipnótica performance aconteceu na última noite de festival. O poster deveria ter sido alterado depois do show que os caras fizeram perto das 4 da manhã do dia 06, afinal, o rolê só terminou dia 06 e não dia 05.

E pode crer que teve de tudo. Mais gaita Blues com o Thom Ace, outra versão estonteante de "In Memory Of Elizabeth Reed" e uma cavernosa suite ao lado de Johnny Winter. Aproveitando que o texano também figurou na lista de atrações, a banda convocou o albinão pra eletrificar o demencial improviso de "Mountain Jam". O resultado foi tão inflamável que o show acabou ali mesmo.

Quem tiver a oportunidade, por favor, escute, roube e compre esse trabalho, não necessariamente nessa ordem. É um exercício bem interessante sacar essa gravação e pensar em como o mundo seria caso esse aqui fosse o Santo Graal no lugar do Fillmore East.

Com um approach mais selvagem, o Allman Brothers que tocou essas noites só não fez chover por que já estava chovendo no primeiro set antes deles começaram. O som do Hammond B-3 do Gregg Allman merecia uma estátua.

Esse registro é digno de se escutar com uma caixa de lenços. Compre duas pra se garantir.

0 comentários: