O Wu-Tang Clan fez um disco com versões do Kamaal Williams

Depois de lançar um dos melhores discos do ano, não pense o senhor que o Kamaal Williams está em casa moscando, muito pelo contrário. O músico segue em tour mundial com o repertório do seu debutante sob o nome de Kamaal Williams ("The Return - que nós resenhamos aqui), junto do trio base que gravou o trabalho e o guitarrista Mansur Brown, outro nome do selo Black Focus Records.


Pelo o que podemos ver acima as coisas estão indo muito bem obrigado, mas nem por isso o groove parou de sair. E não é por que o "The Return'' saiu no começo de 2018 que o disco já deu tudo que podia... Foi com isso em mente que o Wu-Tang Clan fez suas clássicas versões, dessa vez utilizando o Jazz do Kamaal Williams como moeda de troca para o Hip-Hop que descabelou as ruas de Nova York.

Line Up:
Henry Wu (teclados/sintetizadores/piano)
Snips (voz/beats)
McNasty (bateria)
Pete Martin (baixo)
Richard Samuels (engenheiro)



Track List:
"Run For Salaam"
"Broken PLO Theme"
"The Return Of The Shimmy"
 "Cash Rules The High Roller"
"Label Situations"
"Catch The Criminal Loop"
"The Chessboxin Rhythm Commission"
"House Of Medinas Daggers"
"Release The Shuffle"
"Aishas Kids"


Por mais louco que pareça, "Kamaal VS. Wu Tang Clan (Snips RE-Edits)" é mais um lançamento da Black Focus Records, liberado no dia 11 de setembro de 2018. Trata-se de uma iniciativa conjunta e que mais uma vez mostra que a distância entre o Jazz e a cultura Hip-Hop é bem menor do que você imagina.

O maior problema desse lançamento é que ele não está disponível nos serviços de streaming e o próprio Kamaal já disse que esse trampo não vai ter tiragem física. Mas dê um-dois e mantenha a calma, pois ainda é bem fácil descolar o download, já que eles colocaram no Bandcamp no melhor estilo "name your price". 


Como é um trampo de versões que brinca o tempo todo com a dinâmica do "tem um Jazz no meu Hip-Hop" e vice versa, esse registro não foi tão celebrado quanto o "The Return", mas ver esse outro lado, notar as mesmas linhas de teclados, sintetizadores, batera, baixo ou piano, todas sampleadas no forro do beat, só ressaltam as inúmeras qualidade da gravação original.

Ouvir a frase do piano de "Situations", toda embebida nos samples de "Label Situations", até parece que valoriza mais toda a classe e o clímax original. Separe aquele fino e esfumace o ambiente para no fim sacar o óbvio: o Jazz é o pai da cultura Hip Hop.


Escute sem preconceitos. Não pense que vai faltar groove (por que não vai) e observe como as versões cantadas fazem o trabalho original parecer uma fantástica trilha para um filme mudo. 

Os MC's da Wu Tang colocaram os diálogos e agora o Funk até fala. Coisa finíssima, só pra quem tem o tino daquelas gemas vinílicas que fazem o mundo girar. 27 doce minutos de Wu Funk.

0 comentários: