A plenitude do Crosby, Stills & Nash

Existem certas bandas e seus respectivos discos que são completamente fora de padrão. A beleza é tanta que chamar de CD, disco ou LP chegar a ser uma tremenda ofensa. Alguns grupos simplesmente possuem uma química inexplicável.

Na maioria das vezes os membros não costumam se bicar e a discografia do grupo tende a ser um tanto quanto curta, aquém das possibilidades. Porém, mesmo quando a união rende poucos frutos, a genialidade e o brilhantismo sempre compensam... Essa breve descrição lembra alguém? Logo de cara penso no genialidade do Crosby, Stills & Nash.


Esses caras tem um aspecto dentro da cozinha que me marcou desde o primeiro segundo que fiquei exposto ao som do trio. Sinto uma paz impressionante quando escuto suas composições, é um negócio que de fato merecia ser estudado.

Os 3 exalam não só pura poesia e excelente harmonias, mas amor e muita sabedoria, mesmo que de uma maneira Junky - David Crosby) que o diga - e já que estamos no assunto, não é muito difícil adivinhar que hoje nós estaremos sob a tutela de uma pérola do grupo, dessa vez o clássico ''CSN'', o terceiro disco dos americanos, lançado em 1977.

Line Up:
Stephen Stills (guitarra/vocal/baixo/teclado/piano/percussão)
Gerald Johnson (baixo)
David Crosby (violão/vocal/guitarra)
Ray Barretto (percussão)
Mike Finnigan (órgão/teclado)
Joe Vitale (bateria/sintetizadores/flauta/teclado/vibrafone)
Jimmy Haslip (baixo)
Craig Doerge (piano/teclado/vocal)
George Perry (baixo)
Russ Kunkul (percussão/bateria)
Graham Nash (violão/vocal/guitarra/teclado/gaita)
Tim Drummond (baixo)



Track List:
''Shadow Captain''
''See The Changes''
''Carried Away''
''Fair Game''
''Anything At All''
''Cathedral''
''Dark Star''
''Just A Song Before I Go''
''Run From Tears''
''Cold Rain''
''In My Dreams''
''I Give You Give Blind''


Esse LP é o primeiro registro sem Neil Young (desde de sua entrada), mas o canadense que me desculpe, nem senti sua falta quando escutei isso aqui. Não me entendam mal, gosto bastante de Neil e a contribuição do cidadão para o grupo foi primordial - basta escutar o épico ''Déjà Vu'' e notar isso - mas aqui os ânimos estão renovados, é criatividade pura, afinal de contas foram sete anos nem material inédito, desde o "Déjà Vu", liberado em 70.

Eis aqui é um dos melhores registros que já escutei na vida, aliás, não só este, mas todos os LP's do CSN são fantásticos. Se fosse elaborar uma lista com os melhores discos da minha vida, seria forçado a colocar senão todos, pelo menos metade da obra do grupo. Poderosíssima união, que aqui usou de toda a renovação de seu hiato, para colocar mais um disco no padrão ''greatest hits'' no mercado.


Escute a excelência desde a primeira faixa (''Shadow Captain''). Toda musicalidade e destreza do trio... Instrumentalmente leve, porém absolutamente grandioso dentro do que se colocam a fazer. Reparem na levada Folk que só eles possuem... São dezenas de melodias belíssimas, um detalhe que mesmo aparentando simplicidade, ruma para o mais alto nível, principalmente na hora que eles cantam juntos.

Quando o trio solta a primeira palavra ficamos estupefatos com os vocais. São três vozes exuberantes, seja numa pegada mais tranquila (como ''See The Changes''), ou mais elaborada como na sobreposição de vozes em ''Carried Away''. O resultado arrebata ouvintes a quilômetros de distância.

Sinta as nuances. É um exercício de percepção... Perceba a beleza latina de ''Fair Game''. Observe como a dinâmica na voz de cada um parece anular o instrumental em alguns momentos. Crosby faz a harmonia com Nash, enquanto Stills faz aquela base rouca irresistível e adoça o feeling da levada em sua viola.


Aprecie o nobre sentimentalismo de ''Anything At All''. Tão simples com o vento soprando as folhas de um caderno aberto, dá pra sentir até uma brisa batendo no rosto. Seja na afinação perfeita de ''Cathedral'' ou na sinuosa - e uma das minhas preferidas - ''Dark Star''.

Que instrumental! Piano, baixo, percussão, tudo, absolutamente tudo enriquece ainda mais cada nota, e quando a voz entra na jogada, o devaneio beira a perfeição. Take após take, ''Just A Song Before I Go'', ''Run From Tears'', ''In My Dreams''... É um privilégio escutar esse som, rola até algo mais Rock 'N' Roll na despedida, com ''I Give You Give Blind''. Além de tudo o CSN ainda tem groove!

0 comentários: