Chapando no som do Otis Junior & Dr. Dundiff

Caso você goste de beats, o Dr. Dundiff não deve ser um nome estranho. Diretamente de Louisville, na província de Kentucky, o habilidoso Hip-Hop/Neo Soul do DJ americano está mudando as regras do jogo e não é de hoje.

Nos últimos anos apareceram muitos produtores que surfaram muito bem essa nova onda de R&B e Funk/Soul. A maior mudança estética desse novo norte para o groove é bastante palpável e caras como o Chet Faker e o Gramatik, por exemplo, são grandes exemplos disso.


Essa nova abordagem é muito fundamentada no Chill Out. Sabe aquele som que parece deixar seu cérebro no banho maria? Isso é um Chill Out. Depois do play tudo que seus ouvidos precisam é daquele clássico "layback and dig", como diriam os americanos. 

Só que dentro de toda a produção recente que visa restaurar e reposicionar o swing nesse novo tempo, acredito que a união do Otis Junior com o Dr. Dundiff esteja à frente dos demais. Desde 2017 que o Macrocefalia Musical está imerso num flow de beats, acompanhando alguns sons que exploram essa linha, pois a música eletrônica é um elemento que está mais presente no som do que vocês imaginam, e o primeiro disco da dupla mostra isso. "Hemispheres" - lançado em março de 2017 - é um trabalho charmoso demais pra passar batido.


Track List:
"Hemispheres"
"Bubble"
"Why Can't You (Just Come For Conversation)"
"Don't Get Caught"
"Under My Skin" - feat. Jim James
"3 Winds"
"The Mixture"
"Let It Go"
"4 Us"
"The Ballad"
"Say Yes (Gospel)"
"Bye From Space"


Fundado em 2016 depois que o Dr. Dundiff viu o Otis Junior se apresentar numa noite de open mic. vale destacar que tão logo Otis acabou seu set, o DJ já colou no cangote do cantor pra arquitetar um som que conseguisse colocar sua voz de Soulman num plano de fundos com beats Jazzeados, mas  sem soar datado.

E em abril 2016 mesmo eles fizeram o primeiro teste. Com o elogiado EP "1Moment2Another", liberado pela Jakarta, o grupo começou a cunhar sua descolada sonoridade.


Acho que a única coisa que a dupla não esperava era o rápido reconhecimento que apareceu. Várias faixas do EP foram tocados em rádios da França e Estados Unidos. Teve take que foi parar até em mixtape de Hip-Hop com Soul e Funk... Ficou claro que eles tinham acertado, agora a questão era conseguir levar isso para o estúdio.

Com "Hemispheres", o duo conseguiu dar esse passo. Em termos de produção o trabalho também foi bastante superior, mas isso é compreensível, pois quem escuta o debutante percebe como o som já evoluiu bastante, mesmo em tão pouco tempo depois do EP.

A faixa título é o tema que resume muito bem isso. Os beats ascendentes do Dr. Dundiff chegando... O Chill Out fazendo sala e depois que entram os vocais fica claro como o trabalho deles se complementa de maneira chapadíssima.



Em "Bubble" percebe-se como ambos tiveram que alterar um pouco suas abordagens. Os beats do Dr. Dundiff chegaram numa roupagem diferente, justamente por que o Otis Junior também percebeu que precisava ajustar seu vocal. É um equilíbrio muito grande entre os beats e os instrumentos tocados, pois nota-se a necessidade de manter a vibe orgânica.

E o Otis Junior está longe de apenas colaborar com isso. Sua voz é parte integrante do som e é o termômetro perfeito para os beats. Escute "Why Can't You (Just Come For  Conversation)" e perceba o equilíbrio entre os beats e as teclas.


Temas como "Don't Get Caught" deixam claro como a união estava azeitada e a cada faixa o disco surpreende, seja pelo seu forte apelo radiofônico ou pelo grande trabalho de timbres. A guitarra de "Under My Skin" é um veneno, mas e o piano de "3 Winds"? Tem gente que deve estar pedindo a "The Mixture" com versão pra Karaokê... O som é praticamente irresistível e o trampo de harmonias também é bem interessante.

São 12 faixas excelentes dentro do que a dupla se propôs a fazer. "4 Us" ganhou até clipe, depois que virou single. Os metais assoviando ao fundo são certeiros demais. É só abrir o disco e escolher qualquer uma.

"The Ballad", "Say Yes (Gospel), Bye From Space"... Parece até um "Greatest Hits". Você realmente não vai se arrepender e digo mais: quando ouvir o EP e esse CD, não fique triste, pois eles já lançaram outro disco ano passado. "Cool" - liberado em dezembro de 2018 - continua expandindo o grande trabalho dos americanos.

Que disco e que dupla, senhoras & senhores.

0 comentários: